Oie gente tudo bom? Hoje vamos falar sobre a ansiedade, uma doença que vem cada dia mais afetando as pessoas. Mais infelizmente poucas pessoas sabem identificar os sinais da ansiedade para que possa tratar a doença.

A ansiedade pode ser uma porta de entrada para muitas outras doenças como a depressão se não for tratada e controlada já nos primeiros sintomas.

Por isso vou elaborar dois posts bem completos falando tudo sobre a ansiedade, ficaram um pouquinho extensos, mas tenham paciência vale muito a pena ler.

A Ansiedade

A Ansiedade é um sentimento comum do dia a dia do ser humano.

Aliás, podemos nos sentir ansiosos diante de um problema sejam durante o trabalho, em decisões que temos que tomar, antes de provas, testes e concursos.

Mas quando temos esse sentimento de ansiedade em excesso isso se torna um distúrbio de ansiedade o que se torna uma doença.

Então, pessoas que sofrem desse distúrbio de ansiedade, geralmente sentem uma preocupação, um medo extremo e excessivos em situações que seriam corriqueiras do dia a dia.

Sendo assim, algumas pessoas têm sintomas físicos que acabam atrapalhando suas atividades e muitas não conseguem controlar.

 

Qual é a relação entre medo e ansiedade?

A preocupação e a ansiedade são sentimentos muito próximas, a preocupação é uma forma de medo.

Esses sentimentos são necessários para nossa sobrevivência, mas não devem ocorrer com um exagero em nenhum deles.

Entretanto, a ansiedade crônica é quando sentimos a ansiedade por um longo período de tempo. Esse nível de tensão e estresse prolongado pode levar ao surgimento de um medo específico ou até mesmo irreal.

 

Como funciona a ansiedade

A ansiedade é como um reflexo do sistema nervoso, que age independentemente da nossa ação racional é como um reflexo.

Aliás, ela é meio que um sentimento para avisar ao nosso corpo que deve se preparar para fugir ou para lutar em uma situação de perigo.

Quando a adrenalina é liberada e pode causar vários tipos de reações em nosso corpo, entre elas:

  • Aceleração dos batimentos cardíacos;
  • Dilatação dos brônquios para aumentar a respiração;
  • Diminui a motilidade (funcionamento) do intestino, assim poupa energia;
  • Aumenta a dilatação das pupilas para melhorar a visão;
  • Aumenta a liberação de glicose para fornecer mais energia às células.

Então, o cortisol um hormônio que pode trazer o aumento da gordura corporal, inibição do muco das paredes gástricas e fadiga cerebral também é liberado nesse processo.

Mas quais são os sintomas da ansiedade?

A ansiedade pode desenvolver muitos sintomas sejam eles mentais ou físicos. Aliás, vamos conhecer alguns sintomas emocionais que a ansiedade pode causar:

  • Tensão e nervosismos constantes;
  • Aquela sensação que algo ruim pode acontecer;
  • Problemas para se concentrar;
  • Um medo constante;
  • Não consegue controlar seus pensamentos;
  • Dificuldade para esquecer o objeto da tensão;
  • Preocupação extremamente exagera em relação à realidade;
  • Problemas para dormir;
  • Irritabilidade;
  • Agitação constante de braços e pernas.

Sintomas físicos que a ansiedade pode causar

  • Arritmia cardíaca;
  • Dor no peito;
  • Respiração ofegante;
  • Falta de ar;
  • Suor excessivo;
  • Tremores no corpo ou na mão;
  • Sensação de cansaço ou fraqueza;
  • Boca seca;
  • Pés e mãos frios;
  • Náuseas e vômitos;
  • Tensão nos músculos;
  • Dor de barriga e diarreia.

Os ataques de pânico

Algumas pessoas com ansiedade podem desenvolver ataques de pânico, é uma reação comum a ansiedade e está principalmente associado a síndrome do pânico.

O nervosismo e pânico incontroláveis são alguns sintomas, sensação de morte constante, aumento da respiração, aumento do ritmo cardíaco, tonturas, vertigens e problemas gastrointestinais.

Em alguns pacientes os sintomas físicos são tão intensos que podem ser confundidos com doenças como ataque cardíaco e outras doenças cardiovasculares.

Qual a relação entre ansiedade e a depressão?

Muitas pessoas acreditam que depressão e ansiedade são doenças diferentes, mas tem elas têm muitos sintomas em si, muito parecidos.

Estudos afirmam que em 2% dos casos de depressão podem se tornar ansiedade. Já em casos de ansiedade 24% viram depressão.

Alguns sentimentos semelhantes, medos, insegurança, insônia, irritabilidade e dificuldade de concentração.

Uma possível explicação para serem quadros tão parecidos é os pensamentos negativos que a pessoa com ansiedade tem sobre si mesmo.

Outra possibilidade é que pessoas que tem o transtorno de ansiedade, costumam evitar situações que podem se sentir ansiosos.

E acabam vivendo de forma restrita, evitando o convívio com as pessoas, ficando preocupada com as possíveis situações e acaba não fazendo muitas coisas. Isso a acaba levando a depressão, outra relação entre ambas é uma disfunção de neurotransmissores que são chamados monoaminas que também englobam a serotonina.

Outras doenças desenvolvidas pela ansiedade

Vamos conhecer os tipos mais comuns de ansiedade que existem:

Transtorno de ansiedade generalizada (TAG)

É quando a ansiedade persiste por longos períodos e começa a interferir nas atividades diárias. Su características é a preocupação ou expectativa excessiva.

Síndrome do pânico

Caracterizada por crises inesperadas de desespero e um medo intenso e constante de que algo de ruim aconteça, sem motivo algum para isso.

Entretanto, as crises de medo agudo podem ocorrer de modo recorrente e inesperado.

Geralmente elas se isolam por medo de perder o controle da crise, de enlouquecer ou ter algum tipo de ataque cardíaco.

A fobia social

Com toda a certeza, pessoas que tem esse distúrbio tem um extremo desconforto e um pavor inexplicável em situações sociais.

Aliás, seja em um ambiente novo, lugares desconhecidos, pessoas estranhas, falar em público, encontro sociais entre outras situações.

Essas pessoas em muitos casos evitam qualquer tipo de contato social, porque ficam extremante apavoradas com a ideia de ir a uma festa ou outro tipo de evento social, pelo medo extremo que sentem.

Os tipos de Fobias existentes

A fobia nada mais é do que um medo persistente e irracional, que pode ser de um determinado objeto, animal, atividade ou situação que represente pouco ou nenhum perigo real. Mas que, mesmo assim, provoca ansiedade extrema.

A fobia não tem uma lógica propriamente dita, e a ansiedade nesses casos é incoerente com o perigo real que aquilo representa.

Existem muitos tipos de fobias vamos conhecer algumas:

  • Claustrofobia – medo de lugares fechados;
  • Agorafobia – medo de ficar sozinho em lugares amplos ou públicos;
  • Acrofobia – medo de altura;
  • Aracnofobia – medo de aranhas;
  • Catsaridafobia – medo de barata;
  • Aicmofobia – medo de agulhas;
  • Coulrofobia – medo de palhaços;
Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)

O transtorno obsessivo-compulsivo, é muito mais conhecido pela sigla TOC, é um distúrbio psiquiátrico desenvolvido pela ansiedade. Sua principal característica é a presença de crises recorrentes de pensamentos obsessivos, intrusivos e em alguns casos comportamentos compulsivos e repetitivos.

Então, falando de uma maneira mais analógica, uma pessoa com TOC é como um disco riscado, que acaba repetindo sempre o mesmo ponto daquilo que está gravado. Pacientes com este tipo de transtorno sofrem com imagens e pensamentos que os invadem insistentemente e, na maioria das vezes, eles não conseguem bloquear e nem controlar.

Aliás, para esses pacientes a única forma de controle é aliviar a ansiedade, por meio de rituais executados de formas repetitivas.

Entretanto, muitos casos esses rituais podem durar o dia todo e trazer consequências negativas para a vida profissional, social e pessoal do paciente.

Transtorno de estresse pós-traumático

O transtorno do estresse pós-traumático (TEPT) pode ser definido como um distúrbio da ansiedade que é caracterizado por um conjunto de sinais, sintomas físicos, psíquicos e emocionais. Assim, esse quadro geralmente ocorre devido à pessoa ter sido vítima ou testemunha de atos violentos ou de situações traumáticas que representaram ameaça à sua vida ou à vida de terceiros.

Aliás, quando ele se recorda do acontecido, revive o episódio como se estivesse acontecendo exatamente naquele momento e com a mesma sensação de dor e sofrimento vivido na primeira vez. Essa recordação, conhecida como revivescência, desencadeia alterações neurofisiológicas e mentais.

Quais são as causas da ansiedade?

Entretanto, não se sabe bem ao certo porque algumas pessoas desenvolvem à ansiedade de forma mais descontrolada do que outras. Sendo assim, eExistem alguns fatores que podem ajudar nesse desenvolvimento:

Genética e histórico familiar, ambiente ou algum evento traumático e estressante.

Aliás, a mentalidade e o modelo de pensamento, a forma como a pessoa estrutura os pensamentos e as linhas de raciocínio. Em outras palavras a forma com que a pessoa encara a situações do dia a dia.

As doenças físicas

Sendo assim, existem algumas doenças físicas que podem estar relacionadas com o desenvolvimento da depressão. Entre elas podemos citar, problemas cardiovasculares, tumores cerebrais, excesso de cortisol, infecções bacterianas, doenças hormonais como hipotireoidismo. Além de  problemas respiratórios como o DPOC, dores crônicas e o abuso de drogas, álcool e medicações.

Por isso para que se tenha um diagnóstico mais preciso da ansiedade é necessário que todas as possíveis causas sejam descartar através de exames clínicos, para descartar a ansiedade por problemas físicos.

Alguns fatores de risco

Aliás, as pessoas que são mais propensas a terem esses tipos de distúrbios, se viverem episódios de eventos traumáticos na infância ou na vida adulta, estresse durante doenças físicas sérias como o câncer, um acúmulo excessivo de estresse, personalidade muito perfeccionista e controladora.

Dessa forma, continuamos no próximo post, vamos falar sobre os tratamentos e as formas de controles para ansiedade.

Aliás, temos outros post falando sobre saúde acesse aqui! 

Então, se quiser bater um papo corre lá para as nossas redes sociais.

One thought on “Como a ansiedade pode ser a porta para outras doenças

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *