Esse pode parecer um termo estranho para muitas pessoas, mas só quem tem a síndrome do Intestino Irritável, sabe o quanto é difícil, mas com a dieta Fodmap os sintomas melhoram. Aliás, esse post será bem resumido. Mas logo, vou trazendo mais informações sobre o assunto.

Se quiser acompanha mais temos nossa página no Facebook e no Instagram.

 

O que é a Síndrome do Intestino Irritável?

Síndrome do Intestino Irritável ou SII é um termo aplicado a uma associação de sintomas que consistem mais frequentemente de dor e distensão abdominal, constipação e diarreia. Aliás, muitos pacientes com SII alternam períodos de diarreia com constipação. Assim, ela se caracteriza por uma doença funcional. Já que possui ausência de anormalidades estruturais e bioquímicas em todos os exames complementares, laboratoriais e de imagem.

Possível causa

A causa de SII não se encontra completamente esclarecida. Dessa forma, acredita-se que haja uma hipersensibilidade visceral, responsável pelos sintomas. Aliás, essa hipersensibilidade pode ser agravada pela ingestão de certos alimentos. Então, admite-se que seja um distúrbio multifatorial relacionado com alterações neurológicas diretamente relacionadas ao intestino. Além da ingestão alguns de alimentos, os sintomas podem ser precedidos de alterações psicossomáticas, principalmente o estresse.

Sintomas

Sendo assim, pacientes portadores de SII relatam dor e desconforto abdominais recorrentes seguidos de um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Mudança do hábito intestinal (constipação ou diarreia);
  • Melhora total ou parcial da dor após evacuação;
  • Distensão abdominal e flatulências.

Aliás, os sintomas podem estar presentes por meses. O que interfere diretamente na qualidade de vida dos pacientes. Entretanto, as queixas relatadas na SII são muito semelhantes aos sintomas de outras afecções do trato gastrointestinal, o que dificulta o diagnóstico.

Sendo assim, a melhor forma de diagnóstico é procurando orientação médica.

 

O que é a dieta Fodmap?

FODMAPs é o conjunto de alimentos fermentáveis que são mal absorvidos pelo nosso organismo e que podem causar desconforto intestinal. Sendo assim, eles são classificados como oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis. Os alimentos fermentáveis referidos são os carboidratos não digeridos pelo trato digestivo humano. Assim, esta alta osmolaridade e a formação de gases pela microbiota intestinal acabam por desencadear os referidos sintomas.

Aliás, entre esses grupos temos os alimentos com glúten e com lactose.

 

 

Algumas frutas proibidas e permitidas na dieta Fodmap

Com toda a certeza a restrição alimentar é alta para os portadores dessa doença. Sendo assim, vamos passar uma lista de frutas. Mas, logo voltamos com mais alimentos liberados.

Frutas proibidas na dieta Fodmap

  • Abacate
  • Ameixa
  • Amora
  • Caqui
  • Cereja
  • Damasco
  • Figo
  • Lichia
  • Maçã
  • Manga
  • Melancia
  • Nectarina
  • Pêra

 

Frutas liberadas para dieta Fodmap

  • Abacaxi
  • Banana
  • Carambola
  • Framboesa
  • Kiwi
  • Laranja
  • Limão
  • Limão-galego
  • Maracujá
  • Melão
  • Mirtilo
  • Morango
  • Ruibarbo
  • Uva

 

Um dia com a dieta Fodmap

A maior dificuldade é saber quais alimentos pode comer. Por isso, vou sugerir um cardápio para um dia completo com alimentos liberados pela dieta.

Café da Manhã

Então para o café da manhã, vitamina de leite de soja com banana e aveia. Aliás, pão sem glúten com queijo sem lactose e uma fatia de melão.

Lanche da manhã

Uma porção de morangos ou abacaxi, acompanhada de um iogurte sem lactose

Almoço

Uma salada bem caprichada com cenoura, alface, pepino, tomate, abobrinha, espinafre e rabanete. Acompanhada de arroz integral e uma proteína que pode ser um peixe, frango ou carne de boi.

Lanche da tarde

Que tal um mix de oleaginosas com uma laranja?

Jantar

Aliás, para o jantar você pode variar os ingredientes da salada descrito no almoço e pode trocar o arroz por: Batata-doce, polenta ou macarrão sem glúten. Assim, se quiser pode adicionar ovo cozido a salada também.

Duvidas deixa nos comentários.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *